Santa Casa de Itabuna realiza sua primeira gastroplastia por endoscopia


Uma parceria de sucesso com investimentos em alta tecnologia e mão de obra especializada, trouxe mais um procedimento de referência ao tratamento da obesidade aos serviços da Santa Casa de Itabuna, a gastroplastia por via endoscópica.

 O primeiro procedimento sem nenhuma incisão cirúrgica foi realizado na Santa Casa, a cerca de 20 dias, pelo Especialista em Cirurgia do AparelhoDigestivo e Cirurgia Bariátrica  Fabrício Messias.

De acordo com o cirurgião, a gastroplastia endoscópica é segura, eficaz e sem cortes. “O procedimento consiste na introdução de um equipamento flexível pela boca, como acontece nos exames endoscópicos. Com ampla visão do estômago, realizamos suturas no órgão, deixando-o com a forma tubular. O procedimento é realizado em ambiente hospitalar, dura em média 60 minutos, e prevê apenas um período de quatro horas para que o paciente fique em observação, sendo liberado na sequência. Em casa, deve apenas seguir uma dieta prescrita antecipadamente”, explicou.

Além de todas as vantagens de um procedimento minimamente invasivo, essa técnica pode ser realizada em pacientes com obesidade grau I   e pacientes operados que obtiveram reganho de peso . Portanto, não são métodos que se competem ou se comparam. Vale lembrar que a obesidade grau I vem logo depois do sobrepeso (IMC entre 30 e 34,9).

O pioneirismo

Em 2007 a Santa Casa de Itabuna foi pioneira ao realizar a primeira cirurgia bariatrica por video- laparoscopia no interior da Bahia. Fruto de uma parceria entre o ICBM( Instituto de Cirurgia Bariatrica e Metabolica ) , coordenada por  Dr.  Fabricio Messias e  a SCMI . Nesses 10 anos, mais de 2.000 procedimentos foram realizados. “Durante todo esse tempo não paramos de inovar , oferecendo treinamentos em cirurgias laparoscopica avançada , atraindo investimentos de empresas renomadas como Johnson e Johnson  e  Meditronic , fortalecendo nossa instituição e colocando em situação de referencia nacional no tratamento cirúrgico da obesidade”, ressaltou Dr. Fabricio.